quinta-feira, 2 de junho de 2011

Imzadi: 12/04/1996 - 31/05/2011

A primeira vez que vi a Imzadi, ela dançava em duas patinhas, feito bailarina. Foi amor a primeira vista.

A Segunda vez que vi a Imzadi, ela estava isolada em uma gaiolinha por ter mordido - e furado - a orelha do irmãozinho. Ela saiu da gaiola para entrar na minha vida.

São 15 anos de lembranças, a grande maioria boa, que ficam.

O brinquedo preferido, um hamburger, que virou 4º filho quando as orelhas nasceram. A "tromba", um osso dentro de uma meia velha que ela balançava até atirar longe - às vezes acertando a cabeça de algum desavizado (leia-se eu). O Snif, cachorro de pano que de companheiro de infância virou namorado. As corridas desenfreadas pelo jardim do prédio, fazendo o "circuito em 8" em volta dos canteiros. A raiva com a cachorra da casa em frente depois que foi atacada por ela.
O Romeu apaixonado (vira-lata, Simba) que fazia plantão sob minha janela mesmo no frio e na chuva. A paixão por queijo, iogurte e qualquer outro derivado do leite. O prazer com que comia lazanha de espinafre e brócolis - sem carne alguma. A felicidade dela ao, depois de morar em uma casa com pátio enorme, voltar para o apartamento onde cresceu e teve as orelhas...

Meu quase desespero quando ela baixou hospital para operar as duas cadeias mamárias por conta de câncer - única vez que ela não dormiu em casa, ao meu lado. O frio de bater queixo - literalmente - que sentia nos últimos tempos. A vez que quase a perdi por conta de um remédio - ela nunca voltou ao que era antes de tomá-lo.



Quinze anos em que meu raio de sol me acompanhou, nas boas e nas más horas, brincado comigo quando eu estava alegre, lambendo minhas lágrimas quando eu estava triste.




Minha filha canina, minha parceira de toda hora, minha fortaleza se foi. Meu raio de sol agora ilumina pra lá da Ponte do Arco-íris.



Um comentário:

carla m. disse...

Onde tem um monte de raios saltitantes como ela, é lá que ela está!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...